Médicos do SUS: mobilização ocorre em 25 de outubro

Em outubro, mês em que se comemora o dia do médico e o aniversário de 23 anos do Sistema Único de Saúde, entidades médicas de todo o país proporão às autoridades públicas e à sociedade brasileira uma reflexão sobre as atuais condições de funcionamento do Sistema. Isso se dará ao longo do mês de outubro e, especialmente, no dia 25 – Dia de Mobilização dos Médicos do SUS.

"É uma manifestação de advertência para as autoridades e para informar e sensibilizar a população para que ela tome conhecimento das condições precárias em que está sendo atendida. A população precisa saber que às vezes o médico não dispõe de determinado medicamento ou equipamento e tem de improvisar o atendimento, o que pode ser muito prejudicial", alertou o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Cid Carvalhaes.

"Com a mobilização queremos chamar a atenção das autoridades para a necessidade de mais recursos para a saúde, melhor remuneração para os profissionais e melhor assistência à população", acrescentou o presidente da Comissão Pró-SUS do CFM e 2º vice-presidente da instituição, Aloísio Tibiriçá Miranda. "É importante que os médicos se envolvam neste movimento; buscamos segurança para o exercício da profissão: recursos, estrutura de trabalho", acrescenta o presidente eleito da Associação Médica Brasileira (AMB), Florentino Cardoso.

Representantes de diferentes unidades da federação acordaram em reunião ampliada da Comissão Pró-SUS do CFM, realizada em Brasília em 27 de setembro, que as entidades médicas estaduais e municipais definirão nas próximas semanas quais as melhores maneiras de promover localmente a mobilização – paralisações, atos públicos, passeatas e audiências com autoridades estão entre as possibilidades. Detalhes da programação de cada estado poderão ser encontrados no site do CFM durante o mês de outubro – http://www.cfm.org.br.

Apoio – A Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB) encaminhou em 29 de setembro circular aos responsáveis pelas instituições filiadas para comunicar apoio à mobilização. A posição foi aprovada em Assembleia Geral do Conselho de Administração da CMB. "Peço […] apoio necessário ao movimento, considerando as particularidades de sua região, para que sejam alcançadas repercussão positiva nas negociações e na qualidade de atendimento no SUS", diz n documento o presidente da CMB, José Reinaldo Nogueira de Oliveira Junior.

Adicionar comentário