Cresce a adesão à greve dos médicos federais do Rio de Janeiro

    Reunidos no auditório do CREMERJ, nesta segunda-feira (24), os médicos da rede pública federal do Rio de Janeiro comemoraram uma importante vitória do movimento grevista em curso: a formação de comissões de greve na maioria das unidades e a crescente mobilização dos colegas.

     Para dinamizar ainda mais o movimento e atrair a atenção dos pacientes para a causa dos médicos, o SINMED/RJ e o CREMERJ confeccionaram grandes faixas para serem estendidas nas dependências das unidades, além de cartazes, que serão afixados nas portas dos consultórios dos ambulatórios. O material, que foi distribuído na assembleia, e que está à disposição dos servidores que precisarem, informa sobre a greve, orientando os usuários da rede pública. A assembleia, que teve a mesa composta pelos presidentes do SINMED/RJ, Jorge Darze, do CREMERJ, Sidnei Ferreira, e da AMERERJ, Diego Puccini, contou com a participação de profissionais de diversas unidades. “Esta greve está sendo consolidada gradativamente. As reuniões feitas por nós nas unidades, com a participação do comitê de crise da FENAM, foram expressivas no que se refere à representação dos médicos”, ressaltou o presidente do SINMED/RJ, Jorge Darze.

     Nesta quarta-feira (26), representantes do SINMED/RJ e do CREMERJ participarão de reunião em Brasília, com o Secretário Executivo do Ministério da Saúde, para falar sobre a greve e o retorno do pagamento da Gratificação de Desempenho da Carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho (GDPST), suspensa pela MP 568/2012.

    Na quinta-feira (27), às 9 horas, os médicos do Hospital Federal dos Servidores do Estado farão uma assembleia interna para definir a sua participação na greve. As entidades médicas estão empenhadas em agendar outra assembleia com o mesmo objetivo no Hospital de Ipanema.

    Como todos os que participaram do encontro no CREMERJ, o Vereador Paulo Pinheiro (PSOL) criticou a Portaria nº 155, de 05 de março de 2014, do Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda Magalhães Júnior. “Hoje, somos um bolo só. A Portaria 155 foi um presente para a prefeitura do Rio, pois permite que todos os leitos federais da rede própria sejam disponibilizados para o conselho gestor, criado pelo Secretário de Saúde Hans Dohmann para ditar a política de média e alta complexidade na cidade”, destacou.

     “A adesão está crescendo. Temos que mobilizar, organizar e ter estratégia”, lembrou o Presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira.

     O Presidente da AMERERJ lamentou as dificuldades enfrentadas pelos médicos residentes e salientou que a entidade está convocando os profissionais para a manifestação do dia 07 de abril, Dia Mundial da Saúde. Nesta quinta-feira (27), às 16 horas, a categoria fará assembleia no Hospital dos Servidores, quando a greve e a mobilização serão incluídas na pauta de discussões. O diretor do SINMED/RJ Júlio Noronha defendeu a ida das lideranças médicas nas reuniões dos conselhos distritais de saúde para falar sobre o movimento. Já a diretora Sara Padron ressaltou a adesão da totalidade dos médicos do Hospital Cardoso Fontes ao movimento.

     Nova assembleia geral será realizada no dia 31, às 19h30, na sede do SINMED/RJ, para definir os preparativos finais para atividades do dia 07 de abril, que incluirão a paralisação das atividades de todos os médicos das redes pública e privada.

Adicionar comentário