MG: médicos dão chance ao diálogo e aguardam nova reunião com a PBH, marcada para 8 de junho

Os médicos servidores públicos da PBH resolveram dar mais uma chance ao diálogo e aguardar a reunião agendada com os gestores para o dia 8 de junho. Uma nova assembleia geral extraordinária (AGE) foi marcada para o dia 9 de junho, terça-feira, às 19 horas no sindicato. O retorno dos gestores à pauta de reivindicações da categoria será decisivo para a definição dos rumos do movimento e próximos passos. As deliberações foram tomadas em AGE realizada no Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG) ontem, dia 1 de junho.

Durante a assembleia, o diretor de comunicação do Sinmed-MG, André Christiano dos Santos, apresentou um balanço da paralisação realizada no próprio dia 1º de junho.

De acordo com levantamento realizado pelo sindicato, 80% da categoria suspendeu as atividades no dia (incluindo paralisação total e parcial). Somente as urgências e emergências nas UPAS e Hospital Odilon Behrens foram asseguradas aos pacientes.

O diretor apresentou também um balanço da repercussão da paralisação na mídia impressa, radiofônica e televisiva, com várias inserções durante o dia, gerando grande visibilidade para o movimento médico.

Pauta de reivindicações da campanha salarial PBH 2015

1 – Recomposição do salário-base de modo que o salário do médico 40 horas, nível 1, corresponda ao salário pago aos profissionais do Programa Mais Médicos, ou seja, R$ 10.513,01, mantendo a proporcionalidade para as outras cargas horárias.

2 – Isonomia dos vencimentos dos médicos contratados com o médico nível 1 da carreira da PBH. E no caso da excepcionalidade do RPA que ele seja pago tão logo o serviço seja prestado.

3 – Recomposição dos abonos, inclusive do adicional de insalubridade e também do plantão extra jornada, conforme os índices inflacionários do período.

4 – Paridade na aposentadoria da parcela correspondente a extensão de jornada com a do cargo do profissional, garantindo que está não fique congelada após a concessão do benefício.

5 – Manutenção do PEP Médico com a continuidade do contrato de trabalho, mesmo que o Estado não renove o financiamento do programa.

Pontos pendentes de pautas anteriores

1 – Retomada imediata das discussões sobre o Plano de Carreira dos Médicos, com fixação de data para o término das discussões.

2 – Redimensionamento das áreas adscritas às ESF com população máxima de 2 mil pessoas por equipe, conforme portaria 2355 do Ministério da Saúde.

3 – Implantação da reclassificação de risco das unidades de saúde, conforme discutido na comissão montada para tal fim.

4 – Continuidade das negociações setoriais, com vistas à discussão de temas de áreas especificas, tais como Atenção Básica, Urgência, HOB, entre outros.

5 – Modernização do parque tecnológico da saúde, incluindo impressoras e computadores.

6 – Regularização imediata dos cursos à distância para progressão no Plano de Carreira.

7– Manutenção da auto-avaliação e da avaliação dos pares na Avaliação de Desempenho, inclusive no estágio probatório.

8 – Criação do cargo de Diretor Clínico da Atenção Básica em cada regional de BH.

9 – Garantia de equipes completas de serviço.

10– Chamada imediata dos médicos concursados tão logo o concurso seja homologado.

11 – Processo seletivo transparente e amplo para escolha de gerentes das unidades de saúde.

Adicionar comentário