AM: segunda reunião entre empresas de especialidades médicas

 Aconteceu na noite desta terça-feira (02.06) a segunda reunião entre o Simeam e as Empresas de Especialidade Médicas que atuam no Amazonas. Estiveram presentes representantes das Empresas Igoam, Imed, Coopanest, Coap e Cooptrauma.

O objetivo dessas reuniões é que cada empresa apresente os números de atendimentos a serem diminuídos à população dependente do Sistema único de Saúde com a redução de 10% de seus contratos solicitado pelo Governo através da Secretaria de Saúde do Estado "Quem mais sofre com esse corte é a população, imagine a situação do atendimento dos pediatras, reduzir 10% das duas empresas que prestam serviço em pediatria no Amazonas significa deixar de atender quase 10 mil crianças nos CAICs, esses números são apenas de atendimento ambulatorial, sem falar nos atendimentos de urgência em prontos socorro” afirmou a Dra. Yone Hatchwell.

Todos esses números serão catalogados por cada especialidade e se preciso serão divulgados para a população através de um dossiê que será divulgado a imprensa em data ainda a ser definida “Não podemos ser acusados posteriormente pela falta de médicos no sistema Público de saúde, estamos sendo solicitados a realizar uma redução dos serviços e precisamos deixar isso registado para a categoria não sair culpada dessa situação” afirmou Mario Vianna.

Outra questão levantada durante a reunião faz referência à crise financeira enfrentada pelo país. No Amazonas, segundo o IBGE, o desemprego no primeiro trimestre de 2015 chegou a 9,4%, acima da média nacional, que foi de 7,9% e considerada a maior desde o primeiro trimestre de 2013.

Ainda segundo o IBGE, são 157 mil pessoas desempregadas no Amazonas demitidas em sua grande maioria do Polo Industrial, o que para a saúde do Estado representa “157 mil novos SUS dependentes”, tendo em vista que no distrito os profissionais tem como benefício o plano de saúde e ao sair de seus empregos passam a depender exclusivamente do SUS “Será o verdadeiro caos da saúde pública do Amazonas, se nesse momento reduzirmos a quantidade de atendimento médico seremos acusado de negligenciar atendimento à população, ou seja, estamos entre a cruz e a espada” declarou o representante do Imed Dr. Roberto de Lira.

A próxima reunião ficou marcada para o dia 10.06 (próxima quarta -feira) ás 19h na sede do Simeam e cada empresa ficou responsável por apresentar os números referentes a sua especialidade médica.

Adicionar comentário