Sindicatos ligados ao PT tentam dividir médicos

Desesperados diante da posição da FENAM em defesa dos médicos, o presidente do PT de Campinas, também presidente do Sindicato Médico de Campinas e Região, Casemiro Reis, convocou os poucos sindicatos ligados ao PT para tentarem dividir o movimento médico e criarem uma linha auxiliar ao governo do PT e à CUT. Participaram os sindicatos dos Médicos do Pará, com a presença de Waldir Cardoso, Alagoas, com a presença de Edilma de Albuquerque, Tocantins, com a presença de Janice Painkow, entre outros, que tentam se organizar para prejudicar as lutas médicas nacionais.

Estes sindicatos fizeram assembleias irregulares, com a presença de diretores, sem representatividade numérica de suas bases para se desligarem da FENAM. O pedido foi indeferido em razão de débitos com a FENAM e irregularidades na cobrança do imposto sindical que ensejaram ações judiciais, inclusive contra seus diretores.

O movimento dos sindicatos “Ptistas” enfrentou de imediato repulsa e contestação dos médicos brasileiros e a posição envergonhada, com vários ocultando seus rostos na foto acima, mostra a vergonha que esses sindicatos sentem por estarem traindo a categoria e se lançando nos braços do governo.

A FENAM reafirma e renova seus propósitos de ir às últimas consequências para impedir que pelegos se apossem dos sindicatos e os conduzam neste difícil momento da categoria médica para defenderem os interesses que não são da categoria.

Diretoria da FENAM

Adicionar comentário