“Depressão a doença do século” foi tema de audiência pública na Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul realizou audiência pública para debater o tema depressão. Um dos pontos abordados foi a falta de estrutura para atender pacientes diagnosticados com depressão e outras doenças psiquiátricas. 

Atualmente existem apenas dois hospitais psiquiátricos funcionando em Mato Grosso do Sul e o Estado registrou nos últimos anos um aumento de 18% nos casos de depressão e doenças psicológicas.

O psiquiatra Dr. Juberty Antônio de Souza explicou as consequências de algumas doenças mentais. “Pelas estatísticas, há 20% de suicídios no estado grave da depressão, de esquizofrenia, 12%. Diferente do que o Ministério de Saúde preconiza, há doença mental sim, que invalida e mata. De cada 100 pessoas invalidadas para os trabalhos, 11 são por depressão e das dez doenças que mais incapacitam para o trabalho, cinco são psiquiátricas. Cada doença mental atinge o cérebro mudando a comunicação entre os neurotransmissores. Hoje há maior possibilidade de diagnóstico da depressão, inclusive em crianças e adolescentes. Os deprimidos não se matam porque querem morrer, e sim porque querem deixar de sofrer”, constatou o médico.

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que 10% da população mundial sofre com a depressão. Estado e Município precisam unir forças para que este número reduza .

Uma das sugestões oferecidas durante a audiência foi implementar o tratamento de eletroconvulsoterapia para pacientes carentes que sofrem com a Depressão. De acordo com o psiquiatra Juberty Antônio de Souza esse tipo de tratamento é extremamente eficaz contra a doença.

Adicionar comentário