Sindicato dos médicos repudia movimento contra medidas emergenciais

Preocupado com o avanço da pandemia do novo coronavírus no Estado, o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul (Sinmed MS) repudia o movimento contra as medidas emergenciais adotadas pelo Executivo Estadual, uma manifestação está agendada para ocorrer nesta sexta-feira (12) por volta das 14 horas.

“Precisamos pensar em formas de evitar que mais pessoas sejam contaminadas pelo vírus, estamos, tanto a classe médica quanto o próprio governo, orientando dia a dia a necessidade de distanciamento social. O toque de recolher é uma das formas de conter as aglomerações e de reduzir a circulação do vírus”, declarou o presidente do Sinmed MS, Marcelo Santana.  

Ele acredita que o movimento orquestrado para tentar impedir que o município siga as orientações ditadas pelo Governo Estadual não contribui em nada para as medidas que visam defender a saúde da população. “Todos sabemos da necessidade do trabalho em nossas vidas e que precisamos ter saúde para podermos realizar as nossas atividades profissionais, por isso é salutar que busquemos o diálogo de forma consciente e ponderada”, disse.

Medidas restritivas – Conforme o decreto editado pelo Governo do Estado, o chamado toque de recolher inicia neste domingo (14) das 20 às 5 horas, a restrição segue por 14 dias e a expectativa é a de que com a medida seja possível frear o número de pessoas contaminadas, sobretudo das que necessitam de UTI. “É importante lembrar que temos uma quantidade limitada de médicos especialistas para este atendimento e que os profissionais estão muito sobrecarregados”, acrescenta o presidente do sindicato.

Adicionar comentário