+55 (67) 3384-2048
sábado, 06 de junho de 2020

\'Problema não se resolve só com a contratação\', afirma Alexandre Garcia

17 MAI 2013Por: Bom Dia Brasil14h56
SESCON SINMED
Clique Aqui  e acesse o site do Bom Dia Brasil para assistir os comentários de Alexandre Garcia sobre a contratação de médicos do exterior.

'Problema não se resolve só com a contratação', afirma Alexandre Garcia

É uma situação surpreendente até mesmo nos grandes centros urbanos, mas o problema não se resolve só com a contratação de mais médicos. Na capital do país tem acontecido que o governo contrata para suprir falta de médicos, mas metade dos chamados desiste, por falta de meios.

Falta o básico, como luvas apropriadas, fio de sutura apropriado, antibiótico apropriado, sonda, roupa cirúrgica. Essa é a mesma causa que afasta os médicos do interior, no sistema público. A falta de equipamentos para fazer diagnóstico os deixa inseguros e desistem. Não se ouve falar que faltem médicos em hospitais privados bem equipados.

Será que os médicos estrangeiros se darão bem com a falta de meios e a falta de gerenciamento? Sim, se eles estiverem acostumados com isso, mas não é vantagem para os pacientes, que continuarão dependendo das ambulâncias das prefeituras, que os levam para cidades com mais recursos, entupindo hospitais com mais recursos e diminuindo a eficiência desses recursos.

Além disso, qual a garantia de que o médico estrangeiro é bem formado? Semana passada o Superior Tribunal de Justiça deu ganho de causa à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul contra um médico formado na Bolívia, mostrando que o caminho é a obrigação de revalidar o diploma submetendo-se à prova habitual.

A exigência está na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Temer a prova significa não confiar na boa formação dos que vierem. Aliás, provas feitas pelo CRM de São Paulo mostram que também no Brasil a formação está deixando a desejar.
Comentários
Veja Também