Médica perita faz análise da paralisação

    No último dia 13 os médicos peritos do INSS fizeram uma paralisação para alertar contra a insegurança nas agências do INSS, que vêm afetando principalmente as mulheres médicas, ameaçadas e agredidas por assegurados inconformados com os resultados das perícias. A falta de condições físicas de trabalho também foi denunciada pelos profissionais.

    A médica perita Elizabete Rehem, escreveu um texto de desabafo sobre a crise vivida pela categoria, e fez um balanço da paralisação, marcada por grande manifestação na agência do INSS do Comércio, com a presença da imprensa baiana, do Ministério Público, Ministério do Trabalho, Defensoria Pública, Delegacia Especial de Atenção a Mulher, Cremeb, Procon, OAB, dos advogados do Sindimed e INSS. A médica também faz um agradecimento especial ao Sindimed e Fenam, pela parceria, e informa sobre os próximos passos da luta em defesa dos médicos peritos.

Confira:

A nova Sabinada da Bahia

Por Elizabete Rehem

A sabinada foi uma revolta feita por militares, integrantes da classe média (profissionais liberais, comerciantes, etc) e rica da Bahia. A revolta se estendeu entre os anos de 1837 e 1838.ganhou este nome, pois seu líder foi o jornalista e o médico Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira. O estopim da revolta ocorreu quando o governo regencial decretou recrutamento militar obrigatório para combater a guerra dos farrapos, que ocorria no sul do país. Os revoltosos queriam mais autonomia política e administrativa às províncias. Com o apoio de vários integrantes do exército, os revoltosos foram para as ruas e tomaram vários quartéis militares. No dia 7 de novembro de 1837, tomaram o poder em Salvador.decretaram a república bahiense, que, de acordo com os líderes da revolta, deveria durar até D.Pedro II atingir a maioridade.

O levante da Bahia:

Mais uma vez a Bahia sai na frente e prova que Salvador é e sempre será a capital nacional da resistência!

Dos fatos:

O clima e a estrutura organizacional desta autarquia há muito vem se deteriorando, chegando a níveis insuportáveis, agravando-se diuturnamente a ponto de faltar o mínimo necessário para a realização das atividades médicas periciais e também o ambiente de trabalho afetando a todos os servidores e demais brasileiros que necessitam dos serviços prestados por esta valorosa autarquia federal.

A Gex Salvador, creio a mais atingida, pois até mesmo as terceirizadas que cuidam da limpeza e serviços gerais decretaram falência, segundo nos informaram, desde 12/2013, deixando um rastro de insalubridade, falta de condições higiênicas ,material de limpeza …e tudo o mais. Não é de hoje que os peritos médicos previdenciários vêm denunciando e solicitando providências.

Em vão!

A situação só piora e aprofunda.

A falta de equipamentos mínimos, como EPI para os trabalhadores, bem como e principalmente o não atendimento as recomendações do CFM, por tudo isso, a peritada decidiu pedir socorro!

Por que a data 13 de maio:

Não por acaso foi escolhido a data 13 de maio:

– Primeiro porque nos sentimos escravizados- uma vez que a GDAMP é atrelada a fila do INSS, com fatores que interferem que não são da nossa competência e nem da nossa responsabilidade.

-Segundo precisamos sim da proteção de Nossa Senhora de Fátima, pois é gritante a violência que nos atinge a todos dentro e fora das agências da autarquia.

Do Sindimed/Fenam:

Sem apoio dentro da agremiação que se “diz” representante dos peritos, buscamos outros aliados, e nada mais justo e certo que o médico batesse à porta do seu verdadeiro representante – o Sindicato dos Médicos. Fomos recepcionados não apenas com o apoio, mas especialmente o acolhimento humano de toda a sua diretoria e todos os departamentos, conforme amplamente divulgado e conhecido. A diretoria do Sindimed Bahia, representados pelos colegas, Dr. Francisco e Dra. Débora Angeli automaticamente desencadeou, preparou, arregimentou e fez acontecer a manifestação e paralisação dos médicos peritos da Bahia, convidando a sociedade civil organizada para nos ouvir e solicitar providências. Assim estavam os representantes do MPF, MP do Trabalho, Defensoria Pública, Procon, Delegacia das Mulheres, OAB, advogados, Cremeb, jurídico do Sindimed, e a imprensa livre do meu país.

O papel da imprensa:

Nunca antes visto na história, o apoio total da imprensa baiana que deu ampla cobertura ao nosso evento, mostrando o que se passa nas salas frias e descuidadas da Previdência Social, sem retoques. Muitos de nós, emocionados, falamos sem medo o que tem se passado e se passa ainda na nossa labuta diária com ampla repercussão dos fatos.

Que bom que a imprensa é livre!

Recado:

Os peritos de Salvador, já provaram que não reconhecem a ANMP como sua representante, fato. Segundo o mapa das eleições passadas, este grupo atual obteve apenas 2 votos desta gerência na eleição desta atual diretoria. Nada mais precisa ser dito.

O blog perito.med nosso fiel apoiador, escancarando os fatos e as notícias da nova sabinada da Bahia! Um primor!

Os encaminhamentos:

A luta continua. Continuamos mobilizados, as reuniões no Sindimed já estão agendadas, para providenciarmos novos dossiês: sobre gdamp, condições de trabalho, e segurança, a fim de entregarmos ao MPF e MP do Trabalho e outros órgãos, conforme solicitado.

Trabalhador que cuida de trabalhador merece respeito!

Peritos brasileiros batam à porta dos vossos sindicatos estaduais, e vamos juntos vencer esta batalha, na defesa dos trabalhadores do meu país.

Assim, a perícia previdenciária agradece a todos os partícipes e adverte:

“Doutor, o remédio é lutar”, Sindimed da Bahia…

Eu acrescentaria:

Doutor, se o remédio é lutar, melhor ainda é não deixar de votar.

Avante Brasil!

Adicionar comentário