Novo tratamento para asma e DPOC será debatido em Brasília

A asma e a DPOC, juntas, são doenças que hoje atingem 27 milhões de brasileiros, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). Essas doenças dependem muito de diagnóstico, acompanhamento rigoroso e poderiam ter um outro panorama com maior conscientização e adesão aos tratamentos atuais para a população em geral.

Nesse encontro, que vai contar com respeitados especialistas em saúde respiratória, serão discutidos os novos tratamentos para essas doenças, que dependem de controle efetivo para o tratamento tanto da asma quanto da DPOC. Ambas tendem a crescer caso não sejam bem tratadas e o presente e o futuro da asma e DPOC serão temas debatidos pelos especialistas no evento.

De acordo com o Ministério da Saúde, a asma é responsável por 174.500 mil hospitalizações, e a DPOC, que atinge muitos fumantes tem cerca de 7 milhões de portadores e grande parte sem tratamento.

Hoje, novos tratamentos podem melhorar, e muito, a qualidade de vida de quem tem essas doenças e esse será o principal assunto desse evento, que ocorre em Brasília dia 17/6/2015.

Sobre a Asma – A asma é uma doença pulmonar crônica que inflama e estreita as vias respiratórias, causando períodos recorrentes de sibilo, aperto no peito, falta de ar e tosse que frequentemente ocorrem à noite ou no início da manhã. Estima-se que existam cerca de 20 milhões de pacientes com Asma no Brasil, mas apesar dos avanços na medicina, apenas pouco mais de 50% das pessoas têm controle adequado de sua asma.
As causas da asma não estão completamente compreendidas, no entanto os fatores de risco importantes são substâncias inaladas que provocam reações alérgicas ou irritam as vias respiratórias. Esses incluem fumaça e alérgenos como ácaros de poeira e animais domésticos.
Sobre a DPOC – A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é um termo que se refere a doenças dos dois pulmões, bronquite crônica e enfisema, que são caracterizadas por obstrução do fluxo aéreo que interfere na respiração normal. A DPOC acomete cerca de 7,3 milhões de pessoas no Brasil.
A exposição de longo prazo a irritantes pulmonares que lesionam os pulmões e as vias respiratórias em geral é a causa de DPOC. A fumaça de cigarro, o tabagismo passivo, poluição do ar, fumaças químicas ou poeira do ambiente ou do local de trabalho podem contribuir para a DPOC. A maioria das pessoas que tem DPOC tem pelo menos 40 anos de idade quando os sintomas começam a aparecer. Exacerbações relacionadas à DPOC são tipicamente definidas como uma piora dos sintomas que requerem intervenção clínica.

Adicionar comentário